Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

happyness is everywhere

O Povo português é essencialmente cosmopolita. Nunca um verdadeiro Português foi português: foi sempre tudo. FP

happyness is everywhere

O Povo português é essencialmente cosmopolita. Nunca um verdadeiro Português foi português: foi sempre tudo. FP

Soldados da Paz - música

O meu filho é que me deu hoje a conhecer este músico, quando falávamos acerca do concerto de solidariedade de ontem.

Dillaz é um músico que faz hip hop/rap e fez esta música em homenagem aos bombeiros. A música chama-se Homem da Sirene e não se deixem enganar pelo rap porque a meio entra uma versão musical do Homem do Leme dos Xutos, com letra de acordo com o tema, que é simplesmente fantástica.

 

 

3. Coisas do dia

À saída da minha casa tenho um banco do jardim. Apesar de não ser um jardim, tem muita afluência por estar sempre, da parte da tarde, à sombra.

Escusado será dizer que todas as tardes o banco está lotado com vizinhas idosas e menos idosas que por ali vivem. Não sei a que horas vão para ali, mas quando saio às 15h/15h15 para ir trabalhar, já lá estão e quando volto às 18h30/19h,com uma outra substituição, continuam lá.

Quando saio, apanho muitas vezes conversas entre elas e posso assegurar que elas não estão no tricot, estão mesmo no corte e costura. Aquilo começam numa ponta e acabam na outra... 

 

Mas nada disso seria motivo para eu registar, se ontem ao sair não tivesse apanhado uma das velhotas, num tom um bocadinho exaltado:

- Esta gente dum cab**ão não toma conta da vida delas e tomam conta da vida dos outros ?!

 

Contive-me até ao carro e...

 

Hoje também estou aqui...

Recebi o convite do Bernardo para uma entrevista a ser publicada no seu blog Onde vai o gato.

A sua nova rubrica Entre bloggers  convida semanalmente uma blogger (yeahhh, sou uma blogger!!!!) a dar-se a conhecer. O Bernardo surpreendeu-me pelo convite mas foi um prazer responder às perguntas, até porque porque em muitas delas, tive de reflectir pela primeira vez.

 

Querem saber mais umas coisinhas sobre mim? Cliquem no link lá em cima e viajem um pouco com a Happy, a convite do Bernardo! 

 

Destaque do Sapinho

A Equipa do Sapo resolveu presentear-me com mais um destaque num texto de opinião. Muito obrigada pela honra!

Sem Título (2).png

 

 

E uma beijoquinha 

sapo.jpg

Infantário na floresta

É uma tendência que está a alastrar por esses países fora. Nasceu em Berlim e alastrou ao resto da Alemanha, mas também países nórdicos (claro), USA, Reino Unido, Correia do Sul, Japão, etc..

 

Tudo nasceu da constatação que "as crianças de hoje sabem tudo de tecnologia e nada sobre o passarinho que está do outro lado da janela". E portanto, voltar ao contacto com a natureza levou os infantários a ir com as crianças para a rua.

 Sem Título (2).png

Assim, os alunos a partir do ano e meio até aos 5/6 aprendem a distinguir pegadas de animais, barulhos da floresta e de pássaros, e abordam mesmo assuntos sérios, como quando encontram animais mortos. Aprendem a brincar com pedras, paus e folhas.

Percorrem pequenas matas mas também parques da cidade em que foram construídas estruturas em madeira como apoio para descansar e mudar fraldas.

A aprendizagem não é descurada. Antes pelo contrário. Aprendem sem se aperceberem, pois entendem conceitos como diferença de tamanhos ordenado paus do maior ao mais pequeno, descobrem os números a contar cogumelos, e inventam-se letras com materiais naturais, constroem-se abrigos e brinquedos com madeira, cantam música e aprendem outras línguas. 

Também há rodinhas, mas acontecem à volta da fogueira, e mesmo com chuva, sol ou temperaturas negativas, as actividades são exteriores. Aparentemente, até se passam menos doenças...

Interessante, não?

Para evitar aquele "de onde é que vêm as salsichas? Da Sicasal" 

2. Coisas do dia

Há coisas que não consigo entender.

E uma pessoa ir assim para a rua, a ficar com as calças todas amareladas por andarem a varrer e a limpar o chão, é uma delas...

Será que dá muito trabalho fazer uma bainhas, agrafar umas bainhas (em modo emergência), escolher outra roupa, levar à modista??

Epá, há uma infinidade de alternativas e esta... esta não é uma delas!!

IMG_20170624_165235 (2).jpg

Amamentação

Na 5ª feira passada vi esta notícia que me impressionou.

Não consegui no entanto encontrar o vídeo nem o link pelo que guardei a notícia. Mas hoje procurei de novo e claro que já estava na net... 

 A lei no parlamento australiano mudou o ano passado e apesar de não ser a primeira vez que tal acontece, foi a primeira vez que foi filmado. Larissa Waters aproveita para amamentar o seu filho de 3 meses, enquanto faz um discurso e apresenta uma moção sobre doenças pulmonares.

 

Muitas vozes contra se levantaram no final do ano passado e muitas manifestações a favor foram feitas. Vem repor toda a polémica acerca de uma mãe poder ou não amamentar em público.

Fotos das minhas viagens # 62

DSC02061.JPGE finalmente vou terminar os post sobre a viagem a Antequera. El Torcal é um parque natural a 15 km sensivelmente de Antequera, no alto da montanha. Faz-se bem de carro, até porque temos de parar diversas vezes para apreciar a paisagem. Foi recentemente considerado Património Mundial da Humanidade pela Unesco.

 DSC02107.JPG

Há 200 milhões de anos, grande parte da Europa e do Médio Oriente estavam submersos pelo Mar de Tétis. Iniciou-se nessa altura um processo de sedimentação em que a acumulação e depósito de esqueletos, conchas e carapaças de animais marinhos no fundo do mar durante 175 milhões de anos se foram acumulando e compactando em estratos horizontais de grande altura. 

Entretanto o nível das águas baixaram, formaram-se os pólos norte e sul e ficaram à vista estas maravilhas!

 

O parque tem dois tipo de percursos - o de 45 minutos e o de 2 horas. Escolhemos o maior e foi encantador. Exigente fisicamente, mas encantador. Bom calçado, protector solar, chapéu e água! E depois, é subir e descer as montanhas, as pedras, os caminhos.

A paisagem é sempre assim, rochas misturadas com vegetação.

Percebemos que existe uma fauna diversificada, pelos avistamentos que vamos fazendo 

 

 Os caminhos mais claustrofóbicos são também os mais impressionantes, onde descobrimos as rochas numa simbiose perfeita com as árvores, não se distinguindo onde começa uma e termina a outra

Mas a cada curva que fazemos, a cada nova paisagem, queremos fazer mais fotos. Apesar de serem sempre iguais, mas sempre arrebatadoras. 

Amei!

Iogurtes preferidos

Com excepção de uma edição limitadíssima que o Continente fez há um par de anos de iogurtes de figo, estes da Pâturages do Intermarché são os meus favoritos. Aliás essa marca tem dos melhores lacticínios que conheço!

 

Eu  cerejas!! É a única forma de comer cerejas todo o ano!

81A93670363DB713D85D757EF91541DB-paturages-iogurte

Drones não são brinquedos

Sou só eu que acha que 6 incidentes com drones em um mês é um exagero?

Sou só eu que acho que um drone andar a 600 e a 900m de altitude é uma falta de responsabilidade?

Sou só eu que acha que um drone de 1 metro já não é uma brincadeira?

Sou só eu que acha que este vai ser no futuro outro Pedrogão Grande, e que só quando acontecer uma desgraça, se vai pensar em legislar coo deve ser este sector?

 

Então vamos por pontos:

1. Actualmente um drone é de venda livre e sem qualquer tipo de restrição. E como aquilo opera através de ondas, não é possível identificar o usuário. Não é? Como não é? Bastava fazer o mesmo que se faz nas armas: vender mas com identificação. O uso daquele aparelho estaria ligado ao uso que dele faria. Uma base de dados de portadores de drones.

2. Estes drones vêm todos com câmaras de alta resolução incorporadas e aí entra também o direito à privacidade. Quem gostaria de estar no seu jardim e a ser filmado? Por vezes sem saber?

3. Está por esclarecer se um embate de um avião com um drone pode colocar vidas em risco. Penso que poderá depender do momento, se está a levantar ou a aterrar, do comprimento da pista, etc...

4. Há novas regras desde Dezembro 2016, mas pelos vistos a aplicação e o controlo das infracções não é tão linear...

5. E por fim, há no ar outros objectos tais como avionetas e helicópteros e quanto mais pequenos forem, mais susceptíveis serão a um eventual embate. Ou uma pessoa a fazer parapente...

 

Portanto é imperativo que se tomem medidas antes que aconteça algum desastre, já que há por aí alguns irresponsáveis que não respeitam os outros!

Pág. 1/10