Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

happyness is everywhere

O Povo português é essencialmente cosmopolita. Nunca um verdadeiro Português foi português: foi sempre tudo. FP

happyness is everywhere

O Povo português é essencialmente cosmopolita. Nunca um verdadeiro Português foi português: foi sempre tudo. FP

O meu pôr-do-Sol

IMG_20170930_193638.jpg

De hoje, foi assim, em terras algarvias 

 

Dia de reflexão, mas...

Apesar de ser hoje dia de reflexão - coisa que nunca entendi, sou franca - venho fazer um comentário tipo resumo da minha visão sobre as autárquicas.

 

A minha cidade nunca esteve tão branca.

Sabem aquele mito urbano de que a Muralha da China se vê a partir da Lua?

A brancura de todas as passadeiras, de todos os lugares de estacionamento, de todos os pequenos traços nas avenidas, ruas, praças e becos da minha cidade, faz com que também ela seja vista... bem, não vou exagerar e dizer da Lua... mas sei lá... talvez da Estação Espacial Internacional! 

 

E esta é uma caricatura do que eu acho que são as campanhas para as autárquicas. Já o acto de votar, claro que é um direito, mas também um dever

V - Voltarei a ler

desafio.jpeg

 

Decididamente, O meu Pé de Laranja Lima.

Um dos livros da minha adolescência, que nunca mais reli, mas que é encantador, com uma grande mensagem por trás. Para crianças e adultos.

 

Por 26 dias, a MagdaJustMaria João CovasSofia GonçalvesMulaAlexandraDrama QueenCaracolGorduchitaB♥Sandra.wink.winkFátima BentoCarla B. e Princesa Sofia e eu, respondemos a 26 perguntas sobre livros, tendo como mote o alfabeto. Às segundas, quartas e sextas, às 14h, não se esqueçam de cuscar as nossas respostas, em cada um dos blogs. Ou consultem aqui todos os posts publicados no Sapoblogs com esta tag .

Pequenos Grandes pensamentos #45

14502868_1211837768880775_8670836684287168285_n.jp

Devíamos pensar mais nisto. As perspectivas mudam tudo...

 

 

Esperança média de Vida

Foram divulgados os mais recentes números e... yeahhh, podemos trabalhar mais uns anos afinal. Espero que o Governo actualize já, já os números para as próximas reformas! 

 

77 anos para os Homens e 83 para as Mulheres

 

Já nesta década, a esperança média de vida continua a aumentar, tendo passado de 79 anos e 9 meses para 80 anos e 7 meses. Boas notícias portanto, se melhorarmos os cuidados de saúde e pudermos ter uma velhice digna.

A diferença entre a esperança dos homens e das mulheres tem vindo ao longo do tempo a esbater-se e está agora um pouquinho abaixo dos 6 anos.


E geograficamente?

Os Homens no Norte têm a esperança mais elevada (deve ser dos ares) e a das Mulheres, no Centro (não sei a que se deverá - aceito sugestões). Já no Sul, estou lixada!

Mas onde a longevidade é mais baixa, é nas ilhas - todas elas.

 

As previsões?
Que a Esperança continue a crescer chegando nas Mulheres aos 93 anos e nos Homens aos 89.

 

Muito bom estes dados. Claro que a velhice pode ser doce se a nível de saúde e financeiramente, se puder viver dignamente.

Infelizmente, gostaria de ouvir dizer que as condições sociais e económicas do país acompanham este desenvolvimento. O que se antevê, é que a Segurança Social colapse (ainda para mais com este aumentar dos anos de vida) e o sistema de reformas termine de vez.

 

Estamos a viver mais, mas a nascer menos.

É só fazer as contas!  

Quem nunca... #40

uvas.jpg

Comeu umas uvas que, de tão doces, até enjoavam?

Eu aqui, de braço tão levantadinho depois das uvas que comprei ontem...

 

U - Último livro que li

desafio.jpeg

Não tenho tido muito tempo para ler ultimamente, com excepção dos livros da iniciativa Livro Secreto. Portanto o último livro lido foi "Os Olhos de Ana Marta" de Alice Vieira.

Neste momento estou a ler "Palestina"de Hubert Haddad também da mesma iniciativa. Um livro sobre guerra que não me está (por enquanto) a cativar...

 

Por 26 dias, a MagdaJustMaria João CovasSofia GonçalvesMulaAlexandraDrama QueenCaracolGorduchitaB♥Sandra.wink.winkFátima BentoCarla B. e Princesa Sofia e eu, respondemos a 26 perguntas sobre livros, tendo como mote o alfabeto. Às segundas, quartas e sextas, às 14h, não se esqueçam de cuscar as nossas respostas, em cada um dos blogs. Ou consultem aqui todos os posts publicados no Sapoblogs com esta tag .

Como controlar a mente

Eu não digo que agora, tudo o que diga respeito à Índia, me persegue?

Na Sábado desta semana, vem uma entrevista ao neto de Gandhi, que publicou um livro. Já sabemos que o Gandhi não era perfeito, mas os ensinamentos e o profundo conhecimento que o Homem tinha é revelador.

Na entrevista, estas três perguntas especialmente, tocaram-me:

 

Qual foi a lição mais importante?:

Compreender a ira e usa-la de forma construtiva (...) porque a raiva é responsável por muita da violência que existe. Mas quando aprendemos a usa-la de forma construtiva, reduzimos a violência. Só que primeiro temos de aprender que a ira é uma emoção maravilhosa, não devemos suprimi-la.

 

Porquê?

A raiva par o ser humano é como a gasolina num automóvel. Se não tivermos ira, não faremos muitas das coisas que deveríamos. Nesse sentido é uma boa emoção. O errado é abusarmos da ira. Para o conseguirmos temos de controlar a mente.

 

Como é que se controla a mente?

Fazemos muitos exercícios para termos um corpo forte, mas não mentais. A nossa mente está preenchida de mais de uma dúzia de pensamentos diferentes ao mesmo tempo. Ficamos distraídos porque não temos controlo da mente. Temos de fazer exercícios.

Por exemplo, todos os dias, o meu avô obrigava-me a sentar-me numa sala em silêncio e focar a minha atenção numa flor durante um minuto. Depois tinha de fechar os olhos e ver quanto tempo conseguia manter essa imagem na minha mente. No início, assim que fechava os olhos, a imagem desaparecia. Quando comecei a fazer o exercício todos os dias, percebi que conseguia manter essa imagem cada vez mais tempo.

E dessa forma a minha mente ficou sob o meu controlo. Por isso, quando fico com raiva, não perco o controlo.

 

E deixo-vos com este pensamento do controlo da mente, que alguns de nós conseguem fazer, outros nem tanto, e outros de todo!

Quando a sinalética é complicada

IMG_20170926_114359 (4).jpg

 O que fariam, caso se deparassem com esta sinalética?

1ª dúvida

A primeira perda de prioridade indica que não podes voltar à direita. Então para onde volto? se voltar à esquerda, fico em sentido inverso e se for em frente parto algo no carro já que o separador de cimento é alto.

 2ª dúvida

Chegada à segunda perda de prioridade, indicação de que não se pode voltar à esquerda. Ok... E voltava à esquerda para onde, se o tal separador continua lá??

3ª dúvida

Então quando a curva é naturalmente à direita, é preciso um sinal de obrigatoriedade para voltar à direita?? Ok, porque podemos ir com o cérebro desligado...

 

Digam-me lá se isto não é desperdício de recursos, problematicar, complicometrar o acto de conduzir na via pública.

Ou como ouvi dizer, aquilo deve ter sido a última paragem para colocar sinais e aqueles eram os que sobravam na carrinha... ups!

 

Post editado: entretanto já me ligaram a dizer que o primeiro sinal foi retirado. Menos mal, só restam duas dúvidas! 

Uma Casa Cheia

604054.png

 Adoro a Reese Witherspoon. Desde sempre. Não sei explicar, mas ela é o equivalente à namoradinha do Brasil.

 

Sábado, foi a escolha. Sabia que ia ser uma coisa divertida, leve, mas embora Detroit fosse a minha escolha principal, a sessão única era demasiado tarde e não me apetecia sair de lá quase no dia seguinte. Ainda para mais, o Mundo acabava no sábado, lembram-se?

A escolha recaiu então em Uma Casa Cheia, uma comédia para finalizar estes dias de verão, sobre uma recém-divorciada com duas filhas e 3 rapazes que foram para LA tentar a sua sorte na área cinematográfica.

Os rapazes acabam por ir viver para a casa da Alice, um deles envolve-se com ela, há inúmeras cenas de partir o côco a rir, e outras de enternecer.

Depois as coisas complicam um bocadinho, antes de descomplicarem e ficarem todos amigos, numa grande família.

 

Uma comédia romântica para aqueles dias em que só apetece qualquer coisa leve.

Pág. 1/7