Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

happyness is everywhere

O Povo português é essencialmente cosmopolita. Nunca um verdadeiro Português foi português: foi sempre tudo. FP

happyness is everywhere

O Povo português é essencialmente cosmopolita. Nunca um verdadeiro Português foi português: foi sempre tudo. FP

Como controlar a mente

Eu não digo que agora, tudo o que diga respeito à Índia, me persegue?

Na Sábado desta semana, vem uma entrevista ao neto de Gandhi, que publicou um livro. Já sabemos que o Gandhi não era perfeito, mas os ensinamentos e o profundo conhecimento que o Homem tinha é revelador.

Na entrevista, estas três perguntas especialmente, tocaram-me:

 

Qual foi a lição mais importante?:

Compreender a ira e usa-la de forma construtiva (...) porque a raiva é responsável por muita da violência que existe. Mas quando aprendemos a usa-la de forma construtiva, reduzimos a violência. Só que primeiro temos de aprender que a ira é uma emoção maravilhosa, não devemos suprimi-la.

 

Porquê?

A raiva par o ser humano é como a gasolina num automóvel. Se não tivermos ira, não faremos muitas das coisas que deveríamos. Nesse sentido é uma boa emoção. O errado é abusarmos da ira. Para o conseguirmos temos de controlar a mente.

 

Como é que se controla a mente?

Fazemos muitos exercícios para termos um corpo forte, mas não mentais. A nossa mente está preenchida de mais de uma dúzia de pensamentos diferentes ao mesmo tempo. Ficamos distraídos porque não temos controlo da mente. Temos de fazer exercícios.

Por exemplo, todos os dias, o meu avô obrigava-me a sentar-me numa sala em silêncio e focar a minha atenção numa flor durante um minuto. Depois tinha de fechar os olhos e ver quanto tempo conseguia manter essa imagem na minha mente. No início, assim que fechava os olhos, a imagem desaparecia. Quando comecei a fazer o exercício todos os dias, percebi que conseguia manter essa imagem cada vez mais tempo.

E dessa forma a minha mente ficou sob o meu controlo. Por isso, quando fico com raiva, não perco o controlo.

 

E deixo-vos com este pensamento do controlo da mente, que alguns de nós conseguem fazer, outros nem tanto, e outros de todo!

8 comentários

Comentar post