Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

happyness is everywhere

O Povo português é essencialmente cosmopolita. Nunca um verdadeiro Português foi português: foi sempre tudo. FP

happyness is everywhere

O Povo português é essencialmente cosmopolita. Nunca um verdadeiro Português foi português: foi sempre tudo. FP

Estar mal acompanhada é melhor que sozinha?

Não. E é preciso ter a coragem para assimilarmos que não, não é.

O último relacionamento que tive arriscou acabar com a minha dignidade.

Estive disposta a aceitar e perdoar uma traição, ainda que soubesse que essa situação nele era recorrente. O passado dele não o desmentia. E no entanto eu estava disposta a arriscar.

Durante três anos fui fechando os olhos até que resolvi que o mais importante não éramos nós, mas eu. E aí foi fácil... Bastou dar um passo atrás e ganhar a perspectiva de que eu não era aquela pessoa. Aquela já não era eu, já estava tão afastada da pessoa segura que sabe, que quer e que sabe quando já não quer. A proximidade e ter um relacionamento estável estava a toldar-me a claridade.

 

A obrigação de qualquer mulher para com ela própria é manter a dignidade, é reconhecer que o melhor não é demasiado, que não vale a pena se o resultado for abdicar da nossa identidade e se todo o relacionamento estiver assente em sacrifícios…

 

O mais difícil é esta tomada de consciência, mas uma vez lá, só há dois caminhos. Bem, um não é verdadeiramente um caminho, mas o inevitável, é saltar o quanto antes desse carossel em andamento e fazer-se à estrada, sozinha, mas tão melhor acompanhada. 

 

A todas as mulheres que como eu saíram, às que ainda não tiveram a clareza de sair, ou se encontram a ganhar coragem  

 

"Amar não é aceitar tudo. Aliás, onde tudo é aceite, desconfio que há falta de amor!"

 

 

6 comentários

Comentar post