Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

happyness is everywhere

O Povo português é essencialmente cosmopolita. Nunca um verdadeiro Português foi português: foi sempre tudo. FP

happyness is everywhere

O Povo português é essencialmente cosmopolita. Nunca um verdadeiro Português foi português: foi sempre tudo. FP

Outra ideia para viajar

Há uns meses largos, logo no início deste blog, contava que uns amigos viajavam a troco de favores: tomar conta de casa, tomar conta de animais domésticos. Agora foram para os EUA a troco de casa. Eles foram para lá e os outros dons vieram para cá.

 

Mas li recentemente um artigo que propõe outro tipo de viagens.  

Um inglês, praticamente cego desde os 18 anos, e perante as dificuldades que lhe colocavam para viajar resolveu ele mesmo, criar a sua empresa. A Traveleyes existe desde 2004. O seu objectivo? Proporcionar a experiência de viajar e fazer tudo o que quiser. Faz cerca de 60 viagens por ano.

 

Então como funciona?

Um grupo de 14 a 20 pessoas, em que metade são cegos, escolhe um pacote turístico. Os viajantes com visão guiam e descrevem os locais aos cegos e em troca, viajam com 50% de desconto!  Todos os dias há experiências novas e troca de grupos de viajantes, e podem experienciar uma desgustação de vinhos, ou ir a Machu Picchu, ou ir a um mercado local, jardins... Para além disso, podem fazer coisas que normalmente ninguém pode: na China por exemplo, podem tocar nos guerreiros de terracota, algo que normalmente é estritamente proibido.

 

Há a descrição de uma rapariga de 30 anos que já fez duas destas viagens como guia, (Islândia 2014 e Sorrento 2017) e que destaca:
"O itinerário é bastante completo e permite fazer muitas coisas diferentes, mas também com muitos momentos de descontracção. estas férias fazem-te usar todos os sentidos, quer estejas a descrever a alguém o que vês, a sentir no rosto a água de uma cascata, ou a ouvir um vulcão em erupção. Sendo guia, está-se mais consciente do que se encontra à nossa volta." E completa que pretendia viajar sozinha mas não queria os pacotes típicos dos 18 aos 30 anos que as agências normalmente oferecem.

 

Portanto se querem viajar e têm receio de ir sozinhos, ou se o dinheiro é curto, ou se simplesmente lhes agrada esta ideia de servir de guia a alguém com dificuldades, pesquisem e... Boas viagens!

(eu vou guardar este post bem guardadinho para mais tarde) 

6 comentários

Comentar post