Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

happyness is everywhere

O Povo português é essencialmente cosmopolita. Nunca um verdadeiro Português foi português: foi sempre tudo. FP

happyness is everywhere

O Povo português é essencialmente cosmopolita. Nunca um verdadeiro Português foi português: foi sempre tudo. FP

Senhoras, este post é só vosso

E estou a falar do quê? Da minha descoberta 2016.

Antes de avançarem mais, repito que não tenho posts patrocinados. Quando trago aqui algum produto, é porque realmente me conquistou. Posto isto, vamos ao que interessa.

Estou a falar do copo menstrual. Nunca ouviram falar? Ouviram mas têm receio? Então deixem-me passar a minha experiência.

Toda  a minha vida usei tampões de dia, pensos à noite e durante uma boa década, o implante no braço que me retirou a possibilidade de engravidar assim como o período. Adorei esse tempo e agradeço à minha ginecologista a sugestão. Mas ao entrar numa idade mais crítica, colocou-se a hipótese de retirar o implante, pelo que o período menstrual voltou. E eu voltei à combinação penso/tampão.

Em Junho do ano passado, na preparação para a ida ao Brasil, tive de levar vacinas, escolher um anti-zika eficaz e numa das idas à farmácia, o copo menstrual chamou a minha atenção. Comprei depois de ter pesquisado um pouco na internet. Há diferentes cores e tamanhos.

Comecei logo a usar de acordo com as instruções que são bastante simples. Ferver em água durante 5 minutos (para isso reservei um pequeno púcaro que não é usado para mais nada). No final de cada utilização, lava-se com água e sabão ou gel e ferve-se para guardar até ao mês seguinte.

them_size3.jpg

As vantagens?

É limpo, seguro, higiénico, termina com ardores e infecções porque o fluxo não entra em contacto com o exterior nem com o ar. Por esse motivo, não há maus odores. É durável pelo que o investimento inicial (custou cerca de 20€) vai rapidamente compensar o que não se gasta em outros produtos. Posso dizer-vos por exemplo que nunca mais tive nenhuma manchinha numa calça, cueca ou mesmo nos lençóis. Mesmo.

As idas à casa de banho também terminaram. Tenho uma noção mais exacta do meu fluxo diário e é um alívio não estar preocupada em mudar tampão ou em ir à casa de banho verificar a cuequinha, durante o dia. Sair de casa de manhã por exemplo e não ter a certeza se se vai conseguir mudar. Mudo de manhã e à noite antes de ir para a cama. Depois de ganhar o jeito, é confortável porque não se sente e nós esquecemos que estamos com o período. Mesmo no desporto tem vantagens pois sinto-me muito mais confiante na piscina agora. E na praia!

 

Outro factor importante é a parte ecológica e daí este boom em 2016, que o PAN provocou ao falar nele na Assembleia da República! Sim porque apesar da massiva divulgação em 2016, este produto é da década de 1930, embora feito com outros materiais, claro. Se pensarmos bem na quantidade de pensos, tampões que todos os dias são jogados para o lixo, facilmente compreenderemos que o copo é ecológico.

 

As desvantagens? Não sou capaz de apontar nenhuma...

 

Porque sublinhei a palavra durável  lá em cima? Porque eu já vou no segundo copo. Sim, mas por burrice minha. Coloquei o copo no púcaro com água q.b., acendi o lume e esqueci-me dele. Portanto como é feito do mesmo material das tetinas e chupetas, imaginam facilmente o que acontece se deixarem a água evaporar. Pois. Derreteu e evaporou tudinho e foi um castigo para conseguir lavar o púcaro para poder usar outra vez. 

 

Que me dizem? Consegui despertar ao menos a vossa curiosidade?

 

12 comentários

Comentar post