Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

happyness is everywhere

O Povo português é essencialmente cosmopolita. Nunca um verdadeiro Português foi português: foi sempre tudo. FP

happyness is everywhere

O Povo português é essencialmente cosmopolita. Nunca um verdadeiro Português foi português: foi sempre tudo. FP

Sete irmãs - O filme

10852_medio.jpg

 Antes de mais, para se perceber melhor o filme, devemos começar pelo princípio: o nome no original What happened to Monday?

(Fico muitas vezes decepcionada com as traduções, mas enfim...)

 

A acção passa-se em 2073 e o planeta sofre de sobre-população global e escassez de recursos o que acaba por conduzir a uma política de controlo da natalidade, ficando o mundo obrigado a um filho por casal. A alteração da alimentação e dos produtos geneticamente modificados faz com que aumentem as gravidezes gemelares e as crianças escondidas, quando descobertas, são confinadas em ambiente criogénico para serem despertadas assim que a situação do planeta esteja novamente sob controlo.

Como em todos os casos de proibição, acaba por haver clandestinidade e Karen Settman faz o seu parto dessa forma, sabendo que carrega 7 gémeas. Morre durante o parto e é o avô das meninas quem decide proteger as netas arranjando um esquema muito peculiar.

 

Dá a cada uma delas o nome de um dia da semana, e no dia que corresponde ao seu nome, é ela quem sai à rua, adoptando uma identidade única. Desde cedo se habituam às reuniões de final de dia, onde têm de mostrar e contar o seu dia para que as restantes irmãs saibam retomar a rotina de escola e mais tarde, do trabalho. Há uma cena brutal quando elas são jovens, em que se percebe que o que acontece a uma, tem necessariamente de acontecer às restantes. Tudo se complica no dia em que Segunda-feira desaparece. E aqui é onde o filme muda e onde a personalidade de cada uma das 7 irmãs se vai manifestar e onde começamos a descobrir partes da vida de cada uma, fora de casa. 

 

Há imenso suspense e acção, até porque o nome em original logo no início do filme abre o apetite. Gostei de ver o fenomenal trabalho de Noomi Rapace, na representação de tantas versões de uma mesma personagem, todas iguais mas todas tão diferentes. 

 

O filme levanta tantas questões. O que é certo e o que é errado. Obriga-nos a reflectir sobre os temas prementes que estão na ordem do dia e que são exactamente a escassez de recursos, a sobre-população e também a poluição.

Muitos defendem que medidas drásticas devem ser tomadas para resolver esta questão da sobre-população e nesse aspecto, o filme só é ficção pelo facto de todas as nações terem já, adoptado esta medida. 

 

Aconselho a ver, nem que seja para estimular a reflexão.

14 comentários

Comentar post