Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

happyness is everywhere

O Povo português é essencialmente cosmopolita. Nunca um verdadeiro Português foi português: foi sempre tudo. FP

happyness is everywhere

O Povo português é essencialmente cosmopolita. Nunca um verdadeiro Português foi português: foi sempre tudo. FP

Só desde domingo

Eu sei que há coisas com que não se brinca.

Desde pequena que a minha mãe me diz isso, mas esta minha teimosia e uma certa dose de humor irreverente fazem com que eu ache piada ao que aparentemente não o tem. Ou eu ria perante coisas que mais ninguém (ou vá lá, poucos) riem.

 

Nas últimas largas semanas, eu tenho rido secretamente com a pretensão daquele senhor lá da Correia do Norte de tentar colocar no ar um míssil. As suas ridículas tentativas de lançamento. Mas é que era mesmo isso, eles estudavam a coisa, construíam a coisa, lançavam a coisa e depois, ele rebentava no ar como se fosse um fogo de artifício que é suposto eclodir no ar. E depois, lá ia ele com aqueles filmes de chacha a dizer que tinha rebentado com toda uma cidade nos estados unidos, nem quero saber o que acontecia aos seus engenheiros falhados, e pronto, tudo recomeçava até ao próximo fracasso.

 

Até domingo passado. Porque domingo começou verdadeiramente a era da preocupação. Com duas crianças em pontos opostos e no comando de duas potências, não sei o que poderá acontecer. 

Um, porque apesar de não parecer, é mau e tem muito a provar ao seu povo. O outro porque é uma criancinha (o episódio do segredo revelado aos russos que ele "desclassificou" - se eu conto já não é segredo) prova-o sem sombra de dúvidas.

 

Infelizmente.

4 comentários

Comentar post