Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

happyness is everywhere

O Povo português é essencialmente cosmopolita. Nunca um verdadeiro Português foi português: foi sempre tudo. FP

happyness is everywhere

Um dos mais bonitos de FP

 “Um dia a maioria de nós irá separar-se.

Sentiremos saudades de todas as conversas jogadas fora, das descobertas que fizemos, dos sonhos que tivemos, dos tantos risos e momentos que partilhamos.

Saudades até dos momentos de lágrimas, da angústia, das vésperas dos finais de semana, dos finais de ano, enfim... do companheirismo vivido.

Sempre pensei que as amizades continuassem para sempre.

Hoje não tenho mais tanta certeza disso.

Em breve cada um vai para seu lado, seja pelo destino ou por algum desentendimento, segue a sua vida.

Talvez continuemos a nos encontrar, quem sabe...nas cartas que trocaremos.

Podemos falar ao telefone e dizer algumas tolices...

Aí, os dias vão passar, meses...anos... até este contacto se tornar cada vez mais raro.

Vamo-nos perder no tempo....

Um dia os nossos filhos verão as nossas fotografias e perguntarão:

- "Quem são aquelas pessoas?"

Diremos...que eram nossos amigos e...... isso vai doer tanto!

"Foram meus amigos, foi com eles que vivi tantos bons anos da minha vida!"

A saudade vai apertar bem dentro do peito.

Vai dar vontade de ligar, ouvir aquelas vozes novamente......

Quando o nosso grupo estiver incompleto...reunir-nos-emos para um último adeus de um amigo.

E, entre lágrima abraçar-nos-emos.

Então faremos promessas de nos encontrar mais vezes daquele dia em diante.

Por fim, cada um vai para o seu lado para continuar a viver a sua vida, isolada do passado.

E perder-nos-emos no tempo.....

Por isso, fica aqui um pedido deste humilde amigo: não deixes que a vida passe em branco, e que pequenas adversidades sejam a causa de grandes tempestades....

Eu poderia suportar, embora não sem dor, que tivessem morrido todos os meus amores, mas enlouqueceria se morressem todos os meus amigos!"

 

Fernando Pessoa

Quem nunca... #26

Pensou:

Tomara que chova só durante um bocadinho, para ficar com o carro lavado

 

(foi o que pensei a semana passada quando o meu carro finalmente ficou lavado)

 

Trusses. Pois.

Ceroula 1.jpg

 

Isto eram as trusses de antigamente, dos nossos pais e avôs

(confesso que tive de pesquisar para saber como se escreve...)

 

 

 

 

 

 

 

Inverno-quente-Base-de-camada-cal&ccedil.jpg

 

 

 

 

 

E estas são as calças térmicas do séc. XXI.

Felizmente!! 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Polvorós

Esta é uma receita de bolinhos que está na família há muitas décadas.

E como cá em casa gostamos muito e o meu filho adora, o ano passado tentámos fazer. Pedimos a receita à minha mãe, verificámos se tínhamos todos os ingredientes em casa e... mão à obra!

A particularidade destes bolinhos é que levam álcool. Não é álcool de bebida, é decilitro de álcool etílico, daquele que se vende na farmácia.

Fizemos a massa. Juntámos o álcool e moldámos os biscoitos num tabuleiro. Forno com eles. 

IMG_20170414_141258.jpg

Fiquei a vigiar, porque já sabemos que não há fornos iguais. E quando achei que estavam a ficar tostadinhos mas pouco (o meu filhote gosta de tudo pouco cozido), fui para retirar...

A imagem era esta. Literalmente em chamas.

 

Tentámos mais uma vez e o resultado foi sempre o mesmo. A próxima vez terá de ser na casa da minha mãe para perceber o que estou a fazer mal...

Mas esta ficou como história da família e é risada certa quando se fala em fazer bolos 

 

 

Convenceu-me #1 : cabelo - pontas

IMG_20170426_135624.jpg

 Antes de mais, quero deixar claro que este post não é patrocinado.

Nasceu da simples constatação de que esta aquisição que fiz há cerca de 15 dias, tem realmente resultado.

Tenho o cabelo oleoso no couro cabeludo, mas como pinto o cabelo e com a idade, as pontas têm ficado cada vez mais secas. Isso, aliado ao facto de estar a deixar crescer.

Assim, tenho tentado vários óleos para pontas. Houve um, bastante caro por sinal, que gostei e usei nos últimos meses. mas o problema é que embora ficasse com as pontas realmente suaves, se vestisse alguma roupa com o cabelo ainda molhado, esse resíduo de óleo passava para a roupa.

 

Pesquisei mais um pouco, comprei alguns produtos, fui experimentando mas nenhum me convencia.

Até que há 2 ou 3 semanas vi este e comprei. Comecei por coloca-lo à noite sobre cabelo seco, e dormia com ele, com receio que passasse para a roupa. Mas não, ele seca muito bem no cabelo e a suavidade mantém-se. Para além de que as pontas secas e eventualmente espigadas ficam controladas (e será que uso o termo correcto?), nutridas.

 

Estou satisfeita e como a minha mãe sempre me ensinou a partilhar, aqui estou a partilhar...

 

Pág. 13/13