Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

happyness is everywhere

O Povo português é essencialmente cosmopolita. Nunca um verdadeiro Português foi português: foi sempre tudo. FP

happyness is everywhere

O Povo português é essencialmente cosmopolita. Nunca um verdadeiro Português foi português: foi sempre tudo. FP

12 Desafios para 2018 - Janeiro

20862466_Khpfp.jpeg

 

(Também roubei à Fátima

Este ano eu não ia fazer lista de resoluções. Mas a  Fátima e o Triptofano  arrastaram-me e cá estou. Não faço ideia do balanço que terei, só de seguida vou ver o que realizei e o que ainda está no bolso. Então vamos lá ver se fui activa

1. Perder peso. Nada. Fiz alguma dieta, pouco convincente e só perdi 1 kg. Desilusão!

2. E na sequência do primeiro, tenho de me começar a mexer mais. Igual...   

3. Continuar o meu caminho para o vegetarianismo. O meu primeiro sorriso. Só comi peixe e legumes. Yeahhh

4. Continuar os meus hábitos de leitura. Estou no meu segundo livro, portanto sim, consegui!

5. Aderir ao desafio Uma Foto por Dia, que publicarei à segunda-feira. Tenho publicado ao domingo, mas sim, um grande YES!

6. Retomar uma poupança. Este mês coloquei 10% do meu vencimento de lado. Foi complicado, mas consegui chegar ao final do mês sem lhe mexer...

7. Gostava de fazer um workshop de fotografia - nada

8. Fazer algumas remodelações em casa. Fiz parte delas no fim de semana passado. Em remodelação...

9. Tomar uma decisão quanto às férias. Ainda não falei com a chefia, mas vou propor mais 15 dias de férias não-remuneradas.  

10. Depois de ter decidido em 2017 não voltar a pintar mais o cabelo, fiz umas madeixas clarinhas. O cabelo está a crescer. tenho 2 cm de raízes. ainda é cedo para avaliar.

11. Investigar mais e decidir, se vou abandonar ou não, a ração para os meus gatos e dedicar-me a fazer-lhes comida caseira e mais saudável - o meu gato aderiu bem. A gata nem lhe toca. Portanto a repensar.

12. será 2018 o ano em que vou conhecer um homem honesto, generoso, culto e com humor e que não me cobre as viagens que faço? Que saiba viver com o facto de eu querer conciliar ambos os lados da minha vida? Náaa, este homem ainda está por aí à deriva à procura da sua cara-metade! 

 

Et voilá! Afinal não está tão mau como isso. Fifty-fifty 

Camiões

No outro dia vim de Lisboa à noite.

E como vinha cansada e com sono, optei por vir pela Nacional 1, já que considero a autoestrada muito monótona. Não fiquem com ideias, uso bastante a autoestrada - cerca de 95% das minhas idas a Lisboa são pela AE. Mas a verdade é que não é nada estimulante. Na nacional temos de estar atentos a curvas, lombas, localidades...

 

Na verdade, ultrapassei apenas um carro em cerca de 220 quilómetros. Verdade.

Mas cruzei-me com bastante trânsito em sentido oposto. Nomeadamente camiões. E fiquei abismada.

Quando é que se deu a mudança e os camiões se transformaram em árvores de natal ambulantes

dekotora_8efc92fd9eb29baa6a5d6ab479c20ae2a27daaac.

(imagem retirada da net - não me atrevi a tirar nenhuma, claro)

 

Que nome usam?

Os meus pais deram-me dois nomes próprios. E eu pertenço ao que penso ser um restrito grupo de pessoas que não gosta do seu primeiro nome, tendo optado pelo segundo.

 

Dois prenomes. O primeiro, o nome da minha avó paterna e o segundo, o nome da minha avó materna. E apesar desta aleatoriedade, acho que combinam muito bem. 

Gosto que me chamem pelos dois nomes, mas detesto o meu primeiro nome. Portanto, face às circunstâncias de toda a gente me chamar pelo primeiro ainda que eu pedisse que usassem os dois, acabei por aos 14 anos, optar pelo segundo.

Foram tempos difíceis (), mas hoje, toda a gente me chama pelo segundo nome. Toda a gente menos a família. Essa manteve-se no primeiro, com o diminutivo de ...inha. 

 

Isto origina algumas situações hilariantes quando pessoas que me conhecem desde quase sempre pelo meu segundo nome, repentinamente me ouvem responder por outro nome, quando em presença de familiares meus.

Talvez por causa disso, tudo se conjugou para que o meu filho tivesse apenas um. E ele reclama disso, claro... 

Tag - 25 perguntas aleatórias

 Já tinha visto o desafio por aí, mas esperava pacientemente (eh eh) que me batesse à porta. E bateu pela varinha mágina da Bruxa Mimi. O desafio? 24 perguntas, mais uma à minha escolha.

 

1. Sais de casa sem...?

Imensa coisa. Mas o que deixo quase sempre em casa, é o telemóvel. São inúmeras as vezes que aproveito a ida a casa à hora de almoço para o recuperar. Eu sei, nada normal nos dias que correm...

2. Alguma marca de maquilhagem preferida?
A minha mais recente sombra é da Nix. Uso uma base muito suave da  Vichy Idealia ou o CC da Christian Lay que uso principalmente quando uso camisas. Porque aquela base não "contamina" os colarinhos e claro o meu rímel roxo da Shephora. Porque é difícil arranjar esse tom.

3. Flor/Planta preferidas?
Adoro rosas brancas mas não posso deixar de fora a alfazema. E os girassóis.

4. Loja de roupa favorita?
A H&M. Mas cada vez sou menos fã de lojas. Aborrece-me as filas, as confusões...

5. Saltos [altos] ou baixos?
Baixos, mas não rasos. Ainda que use sabrinas algumas vezes. Mas o meu sapato torna-se mais confortável se tiver um ou dois dedos de salto. Mudança radical em 2017, quando optei definitivamente pelo conforto.

6. Cor favorita?
Branco no verão, preto no inverno. Mas isso é só no exterior. Porque por dentro pareço um arco-íris!

7. Bebida preferida?
Água das pedras. Já fui uma coca-cola-dependente, mas isso ficou no passado. Quanto a bebida social, gin tónico e caipirinha. 

8. Hidratante favorito?
Não passo sem usar. No rosto uso da Vichy e para o resto do corpo, como sou (estou) tão perguiçosa, opto por aqueles do duche. São tão práticos! 

9. Pretendes casar?
Não, nunca. Vivi maritalmente com o pai do meu filho, o tribunal deu-me mais tarde estatuto de víuva, mas nunca passei pela cerimónia. E não tenciono passar.

10. Irritas-te facilmente?
Não. Mas quando me irrito, não é bonito de se ver... 

11. Róis as unhas?
Já não. Em miúda roia. Até a minha mãe ter misturado piri-piri ao verniz transparente e me ter pintado as unhas. Bastou algumas semanas e esse mau hábito foi-se para sempre.

12. Já desmaiaste?
Já. E não é uma boa sensação, perderes o controlo do teu corpo.

13. Onde estavas há 3 horas?Em casa, a tomar um duche quentinho.


14. Estás apaixonada?
Sim. Sempre fui apaixonada pela vida. 

Por uma pessoa, que dizer carnalmente? De momento não...

15. Qual foi a última vez que foste a um Centro Comercial?
Há quinze dias, quando fui ao cinema. Mas tenciono ir hoje. Estou a remodelar a casa e faltam-me umas peças...

16. Assististe a um filme nos últimos 5 dias? Qual?
Sim, na televisão. Revi "Horas decisivas". De molho, com lenços de papel à minha volta.

17. Como estás vestida agora?
Ganga, camisola e écharpe.

18. Qual foi o último alimento que comeste?
Duas clementinas (a fruta depois do almoço).

19. Qual o teu animal favorito?

Os meus dois gatos. Tão diferentes a nível de personalidade.

20. Como seriam as tuas férias de sonho?
Uma viagem pelo Japão ou pelo Tibete.

21. Quais são os planos para hoje à noite?
Aproveitar que o filhote chegou ontem para me ajudar a montar o resto da sala. Isso depois de terminar de pintar uma das paredes da sala. 

22. O que estás a ouvir agora?
As notícias, o meu filhote a partilhar histórias, o vento a sussurrar pela fresta da janela.

23. Coleccionas alguma coisa?
Sim, os meus badges dos eventos em que participo. Guardo religiosamente numa caixinha cada um deles. Os mais importantes? Os dos últimos Campeonatos do Mundo e dos Jogos Olímpicos.

24. Comes fastfood?
Sim, mas raramente. Até porque estou há cerca de 2 anos numa de vegetarianismo e não há grande oferta. Para além disso prefiro preparar as minhas próprias refeições.

25. E como são 25 perguntas, acrescento uma: Qual o teu pior defeito? 

O meu pior defeito é não me esquecer. Sou uma pessoa que guarda rancor. Depois, de apagar a pessoa da minha vida, esqueço tudo e pronto. Mas até lá....

Para além disso, sou gulosa. Muito gulosa por chocolate principalmente. Portanto se me quiserem subornar, qualquer tabletezinha chega 

.

Como é já hábito, no fim dos desafios devemos nomear duas pessoas. Não tenho presente quem já participou mas vou avançar para a QuarentonaMula.

(E apesar de serem duas pessoas, opto por nomear uma terceira!! Aqui vai: Fátima )

Estou fanhosa

Sexta à noite preparei uns quantos posts.

Antevia um fim de semana difícil, já que espreitavam à esquina os primeiros vestígios de uma gripe.

Fiquei em casa na sexta à noite, pensando que se no dia seguinte não estivesse muito mal, me lançaria à sala e a começava a pintar. Comprei tintas, pedi ao filhote que me trouxesse um móvel de Lisboa, mas no sábado quando me levantei, não tinha energia nenhuma. Fui trabalhar de manhã porque tinha prometido ao meu colega que lhe fazia as horas que lhe devia, terminei ao meio dia e voltei para o meu ninho.

Fiquei a hibernar todo o dia.

No domingo quando acordei, o meu filho já estava em casa, chegado a meio da noite.

Com alguma determinação, vesti um fato de treino velho e nos apetrechos necessários e comecei a pintar. Terminei quando o miúdo se levantou. Enquanto eu limpava o chão e arrumava o espaço, ele começou a carregar as peças do móvel. Montamos a estrutura, sempre comigo a pingar terrivelmente do nariz.

Almoçamos na casa dos meus pais, voltámos e decidimos que eu não estava em condições de ir ao cinema, iria incomodar toda a assistência!

 

Voltámos para casa e começámos a montar as gavetas e prateleiras. Passámos fios para ligar televisão e box, limpei, arrumei e finalmente descansei no sofá.

 

A casa está perfeita, mas o cansaço acumulado e a fanhosice interferem no meu dia que hoje já é de trabalho. 

Detesto gotas do nariz, mas penso que passará por aqui a solução ao meu estado.

 

Portanto, a semana começa a meio-gás 

Foto da semana #4

52 fotos.jpeg

6 (2).jpg

Esta semana teve dias frios mas com sol.

A meio da semana, quando me voltei para a janela do escritório, deparei-me com este céu.

7 (2).jpg

 

Não se esqueçam de validar...

As vossas facturas no Portal das Finanças até dia 15 de Fevereiro.

 1.jpg

Este fim de semana tenciono separar as facturas e verificar os últimos meses de 2017, que ainda me faltam.

Há sempre facturas que estão a mais ou a menos, e não as validar significa perder dinheiro.

Lembro-me que o ano passado tinha em meu nome cerca de 3000€ em facturas de reparações de moto, quando nem moto tenho. Tive de as eliminar já que se tratava de um erro.

Também me aconteceu eu ter lançado manualmente facturas que não estavam e depois quando fui verificar mesmo antes do prazo terminar, estavam lançadas em duplicado, porque entretanto as empresas tinham demorado a comunicar as facturas.

Outra dificuldade são facturas em nome do meu filho e que (por magia) nem sempre vêm parar às minhas mãos... Sabe lá porquê! 

Mas as últimas a entrar no e-factura são sempre as das propinas da faculdade. Levam uma eternidade!

De qualquer forma, se o IRS dos filhos for ainda em conjunto, temos de as validar também!

 

Se perdeste a senha ou não sabes onde a meteste, podes sempre pedir uma senha provisória numa repartição das Finanças, ou se ainda tiveres tempo, pedir uma nova no site, que te chegará pelo correio.

 

Boas validações!

SNS

Tenho um seguro de saúde, mas que uso apenas em último recurso. Para coisas simples como pedido de análises, prefiro ir ao SNS, até porque o custo das análises será inferior. E se tenho os impostos em dia, porque não usufruir?

Mas o seguro de saúde dá muito jeito, principalmente em algumas especialidades, como o dentista e em viagens pelo estrangeiro.

 

Nos últimos anos tive uma médica cubana. A antipatia em pessoa. Antipatia no sentido de que não sentia qualquer empatia, qualquer vontade de esclarecer. Verdade que sempre me passou os check-ups anuais, mas fora disso, a relação era incómoda.

No final do ano passado voltei ao Centro de saúde. Que a médica tinha voltado para a sua terra. Cuba. Havia uma nova médica, mas apenas aceitava consultas em 2018. Marquei.

 

A verdade é que fiquei agradavelmente surpreendida. Uma médica novinha, com pronúncia do Norte, e vontade de ajudar o próximo.

Marcou-me os exames todos, retirou alguns por achar desnecessários e acrescentou outros.

Resolvi arriscar e colocar uma pergunta que já tinha colocado à minha médica anterior, mas cuja resposta não me satisfizera. A menopausa.

E foi assim que saí esclarecidíssima do consultório. Sabendo que afinal não estou na menopausa (coisa que a outra médica não tinha conseguido esclarecer nem ser taxativa). Sabendo como funcionará esse período.

 

Por isso, médico é aquele que tem gosto em ajudar. Quando a profissão passa a ser um favor, uma obrigação, quando o médico vê em cada paciente apenas mais um obstáculo na escalada do dia, o paciente fica em défice.

Défice de atenção. Défice de cuidado. Défice de esclarecimento.

Desafio das 52 semanas - Semana 4

52.0.JPG

As minhas citações preferidas são:

 

fp.jpg

Curiosamente, outra frase do Fernando Pessoa...

Resultado de imagem para O Povo português é essencialmente cosmopolita. Nunca um verdadeiro Português foi português: foi sempre tudo

 

E finalmente do grande Einstein,

Resultado de imagem para fazer o mesmo e esperar resultados diferentes

 

 

Neste TAG participam para além de mim, a 3ª face, a Ana, outra Ana, a Catarina, o Carlos, a Carlota, a Charneca em Flor, a Daniela, a Desarrumada, o David, a Fátima, a Gorduchita, a Hipster Chic, a Isabel, a Mãe A, a Mariana, a Maria Mocha, a Marquesa de Marvila, a Mimi, a Paula, o P.P, a Sweetener, a Sofia, a Tatiana  e o Triptofano 

(nomes ordenados alfabeticamente)

Espreitem o que cada um de nós vai respondendo ao longo do ano também podem espreitar pelo tag  52 semanas

Pág. 1/7