Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

happyness is everywhere

O Povo português é essencialmente cosmopolita. Nunca um verdadeiro Português foi português: foi sempre tudo. FP

happyness is everywhere

Mulheres-objecto no desporto

Imagem relacionada

Como a maior parte de vocês já percebeu, eu tenho o meu segundo trabalho no meio desportivo.

E desde sempre me habituei a ver as meninas dos beijinhos e as meninas do pódio, normalmente pouco vestidas. Sempre achei pouco dignificante aquele desempenho, mas por outro lado, nunca lhes detectei qualquer sinal de que tivessem essa mesma percepção. Engraçado como as coisas são...

 

Verdade que nas provas de menor importância ou naquelas em que os competidores não são ainda profissionais, as meninas eram muitas vezes filhas de alguém, ou meninas das escolas ali perto. E a isso não apontava o dedo. Assim como já estive em competições internacionais femininas em que existem "meninos de pódio" - vestidos, claro...

Nas competições nacionais de topo, vi na última década e meia, serem contratadas agências de publicidade e passaram a ser modelos profissionais a desempenhar esse papel. Ainda assim e talvez especialmente por isso, com muita carne à vista.

No ano passado, em duas competições mundiais da minha modalidade na Austrália e em Espanha, já esta coisa das meninas do pódio foi afastada e apresentaram um casal, vestido de forma sóbria e nas cores dos patrocinadores, que fez as funções protocolares.

  

Este ano, a Fórmula 1 anunciou que vai acabar com a tradição de ter modelos nas pistas, assim como no pódio final com os competidores e nas sessões de autógrafos, e já nesta época, no início da nova temporada do campeonato do mundo, dia 25 março. Será estendido ainda às competições de Fórmula 2. 

O director comercial e de operações da F1, Sean Bratches afirmou que "apesar de ser tradição há décadas ter 'grid girls' no Grande Prémio de Formula 1, sentimos que esta prática não ressoa com os valores da nossa marca e está claramente em desacordo com as normas actuais da sociedade. Não acreditamos que esta prática seja apropriada ou relevante para a Fórmula 1 e para os seus fãs, velhos e novos, em todo o mundo", acrescentou..

 

Claro que a decisão foi aplaudida pela Women's Sport Trust uma instituição que fomenta o impacto e a visibilidade do desporto no Feminino.

 

Por isso, é com muita esperança que vejo esta mudança. E fico ansiosa por que esta medida da Fórmula 1 ajude a tornar comum esta prática e que ela chegue rapidamente de uma forma geral à minha e a muitas outras modalidades. 

Problemas de concentração?

 Ontem li no blog da Cristina que 

"You become a master of your life when you learn how to control where your attention goes"

Já tinha este post alinhavado, mas faltava algo. E encontrei ontem 

 

Há dois fins de semana estive num dos meus eventos no Norte.

E como sou normalmente a mais qualificada, toda a responsabilidade do evento e das decisões recai sobre mim.

Mas é difícil mantermo-nos focados das 8h às 21h, com apenas cerca de uma hora de almoço. E nas provas mais importantes, torna-se ainda mais relevante estarmos focados no desenrolar das mesmas.

São compridas. E portanto enquanto vigio o desenrolar das mesmas, nem sempre a atenção está ao rubro. E às vezes dou por mim a pensar noutras coisas, quando não devo. 

Na véspera ou antevéspera - já não sei - tinha escrevinhado o post sobre o filme 45 anos. E a música não me saiu da cabeça o fim de semana todo.   ♪ You must realize, Smoke gets in your eyes  ♪ 

 

E lá fui cantarolando, de boca fechada, a melodia. (o ruído natural do local impedia que alguém se apercebesse )

 

E não é que esse exercício me ajudou a concentrar? Consegui estar as provas todas a prestar atenção e sem fugas no meu raciocínio. Isto porque de forma automática eu estava ocupada a cantarolar, e podia focar o resto da atenção na função.

 

E é assim que se prova que estamos sempre a aprender! 

Pág. 5/5