Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

happyness is everywhere

O Povo português é essencialmente cosmopolita. Nunca um verdadeiro Português foi português: foi sempre tudo. FP

happyness is everywhere

O Povo português é essencialmente cosmopolita. Nunca um verdadeiro Português foi português: foi sempre tudo. FP

A livraria - O filme

9616_medio.jpg

Baseado no livro de Penelope Fitzerald, A Livraria foi candidato às 11 categorias nos Prémios Goya (aqui da nossa vizinha Espanha) tendo ganho os prémios de melhor película, melhor director e melhor filme em 2018.

 

Como premissa, é bastante aliciante. E depois de vermos o filme, percebemos porque nos deixámos envolver tanto.

 

A história é simples, de uma viúva que decide abrir uma livraria numa pequena localidade litoral da Inglaterra, no final da década de 50. Emily Mortimer dá vida a Florence, a protagonista. Bill Nighy, interpreta o Sr. Brundish, o seu aliado e primeiro cliente. Mas é a pequena Honor Kneafsey quem rouba a cena ou enche a cena, de cada vez que aparece. Digam se não acharam?

 

Achei este filme mágico. E esteticamente, quase toca a perfeição. O jogo de cores com o cinzento da cidade triste e fria é enternecedor e faz maravilhas ao movimento do filme.

 

A ver, sem dúvida!

8 comentários

Comentar post