Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

happyness is everywhere

O Povo português é essencialmente cosmopolita. Nunca um verdadeiro Português foi português: foi sempre tudo. FP

happyness is everywhere

Adorei o Rwanda #2

Já passou muito tempo desde o post 1 sobre o Rwanda. Demasiado!

E tenho já umas 4 viagens posteriores para vos mostrar. Shameonme !! Que deixo as semanas passarem demasiado cheias e não consigo roubar uns minutos aqui e outros acolá. Mas está na hora de acertar os ponteiros!

 

Há coisas que me tocaram fortemente naquele país.

Vi crianças com 5-6 anos a carregar às cavalitas os irmãos mais pequenos, a carregar sacos e bidões de água, por uma extensão que se fossemos nós, tiraríamos o carro da garagem para nos deslocarmos. Mesmo sem a carga! Como há tanta pessoa e criança a caminhar nas bermas, o estado determinou que não se conduzisse a mais de 60 km/h naquelas pequenas estradas e assim os motores dos transportes públicos têm mesmo esse bloqueador.

As pessoas são amistosas, as mulheres muito bonitas e a quem vi desempenhar todas as funções (do nível mais alto ao mais baixo - conheci ministras e vi mulheres nas obras a fazer os passeios das vias). Vivem sem pressa. Vi muitos homens a caminhar de mão dada. Deduzi que fosse algo de cariz cultural e não sexual. A forma peculiar como eles concordam, ao emitir um som muito semelhante ao ehhh, mas prolongado. Levei uns dias a perceber o que significava aquilo...

No geral, achei a população muito jovem, mas nem precisamos que a história nos recorde que o genocídio foi há apenas 25 anos e de acordo com o que me foi explicado, segundo o Census de 2002, 44% da população tinha então menos de 15 anos. É obra! 

Neste museu, com visita guiada, fiquei a conhecer um pouco da história do país, costumes e especialmente o genocídio com imagens das tribos e do Presidente que mais tarde conseguiu que as pessoas seguissem em frente e não ficassem agarradas ao passado. 

 

Nas fotos: 1. transporte de bananas; 2 e 3. Deslocações ao domingo; 4.estrada em obras e que nós interditámos com a nossa passagem. Aquela via esteve fechada toda a manhã e as pessoas calmamente, caminhavam em direcção a Huye, por extensões de mais de 7km. 

 

Nas ruas, vemos moto-taxi e bici-taxi. No dia em que pensei ir ao Museu etnográfico, ainda considerei a moto mas colocar um capacete alheio na cabeça não me convenceu. Optei então pela bicicleta-taxi, cheia de pena do senhor, já que havia colinas pelo meio, claro!

 

macacos.jpgNo Rwanda não temos de nos preocupar com cães que atravessem a rua. Já com macacos, é outra história... do nada sai um macaco a saltitar em frente ao nosso carro. Um misto de espanto e fascínio!

 

Para além das pessoas, o que gostei mais?

Do verde. Das paisagens. Da limpeza nas ruas. Do arranjo nos jardins, nos passeios. Nos canteiros. Sabiam que o plástico descartável é proibido no Rwanda? As malas que vão embrulhadas em plástico no aeroporto, são à chegada e em frente às pessoas, desembrulhadas, porque o plástico fica logo ali.

nascer do sol.jpg

E dos nasceres do sol. Fantásticos. A esta hora eu já andava a correr pela cidade e desfrutava todos os dias destas paisagens!

(Continua)

Comentar:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.