Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

happyness is everywhere

O Povo português é essencialmente cosmopolita. Nunca um verdadeiro Português foi português: foi sempre tudo. FP

happyness is everywhere

O Povo português é essencialmente cosmopolita. Nunca um verdadeiro Português foi português: foi sempre tudo. FP

As queimadas

Este é o assunto do momento.

Ainda na outra semana uma amiga minha me dizia que os tios estavam para Viseu, a limpar os terrenos. Perguntei na altura se tinham sofrido com os incêndios, Que não, tinham os terrenos limpos e tiveram alguma sorte.

E talvez por causa desta recente conversa, dei por mim a reparar lá por Valência, numas construções de blocos de cimento, espalhados pelos terrenos. Alguns redondos, não cimentados e outros quadrados, esses sim, mais definitivos. As aberturas eram variadas, voltadas a sul, norte, etc... As pessoas vão colocando lá os ramos e pasto para arder e depois quando está cheio, pegam fogo lá dentro. Um exemplo aqui em baixo, de uma foto que consegui tirar. Achei uma óptima ideia, claro que isso não invalida os incêndios, mas ajuda a controlar os fogos provocados pelas queimadas dos agricultores.

Fiquei a pensar que conheço o nosso país e das duas uma: ou não há daquilo por cá, ou tenho andado muito distraída.  

IMG_20180225_100502.jpg

E hoje de manhã, na televisão, uma reportagem para a televisão, numa zona de Torres Vedras, em que é dado como exemplo de boa execução este local de queimada, com uma mangueira de água e extintor ao pé.

Conseguem perceber as diferenças?

IMG_20180226_084756.jpg

O meu pai faz da mesma maneira: mangueira de água ao pé e toca a puxar fogo. Vou sensibiliza-lo a comprar 30 ou 40 blocos de cimento, escolher um canto do terreno e fazer lá as queimadas. Até mesmo as brasas restantes quando se pensa que já estão todas apagadas, ficam ali mais resguardadas do vento.

Há que importar as boas ideias!

16 comentários

Comentar post