Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

happyness is everywhere

O Povo português é essencialmente cosmopolita. Nunca um verdadeiro Português foi português: foi sempre tudo. FP

happyness is everywhere

Assumir a idade

Quase, quase a entrar nos cinquentas anos, tomei uma decisão.

Ando há quase 30 anos a pintar o cabelo. Uns tons mais claros, umas madeixas, uns tons mais ruivos, enfim, já houve de tudo aqui nesta cabeça. Uns tons azulados, inclusivamente!

 

Mas resolvi dizer basta! Vou aproveitar a moda dos cabelos cinza, das Mulheres de Prata, e vou ver se consigo ir na onda. Estive a ler o grupo no facebook e percebi que a transição mais fácil é fazer umas madeixas bem clarinhas, para depois acompanhar o crescimento do cabelo sem pintura. Já agendei com a cabeleireira.

 

Se vou ter coragem depois? Tudo vai depender como a cabeleira vai ficar, se me consigo ver ao espelho, ou se vou detestar. Não vou ser fundamentalista e dizer nunca mais! Mas a verdade é que esta é uma ideia que já vem desde o início do ano, mas que vou protelando de mês para mês.

 

Será desta?

2 comentários

  • Imagem de perfil

    P. P. 11.11.2017 01:03

    Concordo contigo, Carlos.
    De facto, algumas pessoas ficam bem e outras nem por isso. As minhas patilhas, por ex, são de um branco tal que fica mesmo mal. Então, a contrastar com louro e pele branquinha... Confesso que antes pensava o contrário. E tinham que ser logo as patilhas que não são nada fáceis de colorir. Na verdade, uma parte da barba que conforme deixo crescer... branco mais branco não há. Grrrr
  • Comentar:

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.