Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

happyness is everywhere

O Povo português é essencialmente cosmopolita. Nunca um verdadeiro Português foi português: foi sempre tudo. FP

happyness is everywhere

Caviar

caviar.jpg

Confesso que sou pobre.

Ser pobre também significa ser pobre de gostos. Gostar de tremoços em vez de lagosta. Ou preferir azeitonas temperadas em vez de caviar.

Sim, definitivamente sou pobre.

 

Há uns anos, aqui em França tive a oportunidade, durante uma recepção numa câmara municipal (mairie), de fazermos uma degustação de champanhe, acompanhado por alguns acompanhamentos. Era um apéro, já que de seguida íamos jantar com o Maire, himself.

 

Então, de copo na mão, lá fomos circulando, tirando uns salgados das travessas que passavam. A determinada altura, apresentaram-me umas tostas com um patê qualquer e umas bolinhas pretas em cima. Muito bonito.  Muito atractivas. Peguei uma. Coloquei na boca.

E achei que ia vomitar! Que aflição. Já não me lembro do sabor, mas quando penso em caviar, ocorre-me óleo fígado de bacalhau (lembram-se?). Só para que vejam!

Não conseguia engolir. Nem pensar. Então disfarçadamente, fui buscar um guardanapo. Ainda mais disfarçadamente, cuspi o que tinha na boca e depois foi só fazer uma pequena viagem até ao caixote do lixo mais próximo. Nunca mais!

 

E agora, alguém se lembrou de caviar branco. De caracol. Pelos vistos não tem o sabor a mar, mas sim a terra - como as beterrabas, mas mais suave. 1500€ o quilo. Se tenho vontade de experimentar? Niet!!

Acho que me fico pelos animalinhos que põem esses ovos. Sim sou do Sul, gosto de caracóis  

 

2 comentários

  • Imagem de perfil

    Happy 28.05.2017 16:21

    Tremoços, pelo-me por tremoços... E são pouco calóricos se não estiverem muito salgados!
  • Comentar:

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.