Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

happyness is everywhere

O Povo português é essencialmente cosmopolita. Nunca um verdadeiro Português foi português: foi sempre tudo. FP

happyness is everywhere

O Povo português é essencialmente cosmopolita. Nunca um verdadeiro Português foi português: foi sempre tudo. FP

Desafio da escrita - dia 17: Relógio

relógio-cuco (2).jpg

Um relógio semelhante a este calhou em herança. Da minha avó, que tinha uma grande estima por ele.

 

Eu recordo-me de estar na altura dos pesadelos e dos monstros debaixo da cama. Na casa da minha avó no Alentejo, esse som compassado, o ritmo esperado e antecipado conseguia sempre acalmar-me. 

 

Durante as férias, aquele cuco era o meu melhor amigo. O amigo noctívago porque durante o dia, tinha amigos de carne e osso e estávamos sempre muito ocupados para pensar em monstros sub-camais. Tínhamos de andar de bicicleta, apanhar canas e amoras, fazer o caminho até à vila (e que nenhum adulto desconfiasse que nos afastávamos tanto!), apanhar figos. Lembro-me agora que foi no Alentejo que descobri a minha primeira laranja sanguínea (ou laranja vermelha)...E se gostei...

 

Há uma história muito gira sobre um relógio:

Um camponês perdeu um relógio valioso no celeiro. Procurou em vão e pediu a um grupo de meninos e meninas se o ajudavam a revirar tudo. Deu recompensa mas mesmo assim, ninguém encontrou.

Quando estava quase a desistir, um menino veio ter com ele e pediu para tentar sozinho. O camponês, que não tinha nada a perder, acedeu.

Algum tempo depois, o menino saiu do celeiro com o relógio na mão.

- Como conseguiste encontrar ??

A criança respondeu que não fizera nada, a não ser ficar sentado no chão, em silêncio. Em silêncio, conseguiu ouvir o tic-tac do relógio e foi na sua direcção.


E muitas vezes é assim, precisamos de ter paz na cabeça para pensarmos melhor .

8 comentários

Comentar post