Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

happyness is everywhere

O Povo português é essencialmente cosmopolita. Nunca um verdadeiro Português foi português: foi sempre tudo. FP

happyness is everywhere

Divórcio grisalhos

Li recentemente um artigo cujo título era "até que a reforma os separe".

 

Esta tendência global, mostra que os divórcios depois dos 50 anos estão a aumentar, e normalmente com mais de 20 anos de casamento. É de tal forma que já existe um nome: silver splitters. A explicação é que ao longo das décadas, as pessoas mudam e nem sempre o ou outro acompanha essas mudanças. E pasme-se, quem costuma tomar esta decisão são as mulheres! Os homens têm mais dificuldade em enfrentar e originar um conflito, pelo que enveredam por relações extra-conjugais (isto se até aí não o fizeram) e a outras estratégias que os tiram o mais possível de casa.

Mas e quando se dá este clic? Normalmente quando os filhos saem de casa, quando deixa de haver um foco nos filhos e estes deixam de ser a cola, os pontos de união e conversa.

 

"Apesar de os divórcios grisalhos não terem os problemas da guarda das crianças - os filhos já são adultos e independentes -, nem por isso são menos complicados!

O que foi partilhado durante tantos anos, as emoções e o facto de se enfrentar o mundo sozinho aos 50 ou 60 anos, faz com que estas decisões sejam muito ponderadas."

 

Conhecem casos assim?

Eu por acaso conheço 3 casos em que depois dos filhos terem saído de casa, eles não tinham nada mais a partilhar, mas por comodismo e/ou falta de posses, e/ou receio do que os outros iriam dizer, acabaram por ficar juntos.

 

4 comentários

  • Imagem de perfil

    Happy 17.11.2017 11:21

    Tens toda a razão em falar nesta geração de mães de agora. Sim, se não alterarem os comportamentos, terão muitas dificuldades no futuro.
  • Imagem de perfil

    Psicogata 17.11.2017 11:27

    Vivem e respiram para os filhos o que será da vida delas quando eles crescerem? Tudo bem que são e devem ser uma prioridade, mas tudo o que é demais é exagero.
  • Imagem de perfil

    Happy 17.11.2017 13:20

    Sim, os filhos são sempre a nossa prioridade, mas não devemos anular-nos. A nossa vida tem de continuar, com as coisas de que gostamos, que nos dão prazer para além deles. Sabes que as mães divorciadas aprendem isto muito rápido, quando no fim de semana ou na semana que é do pai, se vêem obrigadas a inventar uma vida...
  • Comentar:

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.