Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

happyness is everywhere

O Povo português é essencialmente cosmopolita. Nunca um verdadeiro Português foi português: foi sempre tudo. FP

happyness is everywhere

Divórcio grisalhos

Li recentemente um artigo cujo título era "até que a reforma os separe".

 

Esta tendência global, mostra que os divórcios depois dos 50 anos estão a aumentar, e normalmente com mais de 20 anos de casamento. É de tal forma que já existe um nome: silver splitters. A explicação é que ao longo das décadas, as pessoas mudam e nem sempre o ou outro acompanha essas mudanças. E pasme-se, quem costuma tomar esta decisão são as mulheres! Os homens têm mais dificuldade em enfrentar e originar um conflito, pelo que enveredam por relações extra-conjugais (isto se até aí não o fizeram) e a outras estratégias que os tiram o mais possível de casa.

Mas e quando se dá este clic? Normalmente quando os filhos saem de casa, quando deixa de haver um foco nos filhos e estes deixam de ser a cola, os pontos de união e conversa.

 

"Apesar de os divórcios grisalhos não terem os problemas da guarda das crianças - os filhos já são adultos e independentes -, nem por isso são menos complicados!

O que foi partilhado durante tantos anos, as emoções e o facto de se enfrentar o mundo sozinho aos 50 ou 60 anos, faz com que estas decisões sejam muito ponderadas."

 

Conhecem casos assim?

Eu por acaso conheço 3 casos em que depois dos filhos terem saído de casa, eles não tinham nada mais a partilhar, mas por comodismo e/ou falta de posses, e/ou receio do que os outros iriam dizer, acabaram por ficar juntos.

 

5 comentários

  • Imagem de perfil

    semprescp 17.11.2017 11:37

    Concordo em absoluto Psicogata.
    As mães de hoje em dia parece que descobriram a pólvora.
    Que ser mãe é isto e aquilo.
    No entanto não tiveram nem 1% das dificuldades que as nossas mães e avós tiveram para nos criar.
    Tudo gira á volta da criancinha e depois quando acordam para a vida estão mortas.
    Mas é sempre a melhor coisa do mundo (mais porque não querem dar o braço a torcer).
  • Imagem de perfil

    Psicogata 17.11.2017 12:17

    Eu conheço casais que não têm um único momento a sós desde que têm filhos, como é possível manter uma relação saudável sem momentos a dois? Alguns não têm opção, mas a maioria tem, mas estão de tal forma focados nos filhos que não conseguem conceber um jantar sem eles, pior ainda é um caso bem próximo que são possessivos com o filho, não o deixando sozinho com ninguém, mesmo com a família próxima.
    O que farão esses pais quando o filho sair de casa? Como passarão o tempo? Sobre o que conversarão?
    Só não vê isto quem não quer, por mais que haja pressão para serem pais perfeitos não podem ser exclusivamente pais.
  • Imagem de perfil

    Fátima Bento 17.11.2017 22:58

    E a criança, que vai continuar a sê-lo mesmo depois da idade indicada para tal, vai fica completamente dependente e incapaz de amadurecer. Isso é doentio.
  • Imagem de perfil

    Happy 18.11.2017 09:05

    Sim, mas ainda que não haja maus tratos, a indiferença que pode instalar-se num casamento é desgastante e compreendo que mesmo nessas idades, se opte por tentar ser feliz!
  • Comentar:

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.