Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

happyness is everywhere

O Povo português é essencialmente cosmopolita. Nunca um verdadeiro Português foi português: foi sempre tudo. FP

happyness is everywhere

Esforços individuais. E os colectivos?

Quando falamos de plásticos, percebemos que muita gente tenta - ainda que nem sempre consiga com o êxito pretendido - reduzir a sua pegada e a forma como tem impacto na Terra. E sempre ouvimos dizer que grão a grão...E é por isso que continuamos, porque a pouco e pouco vamos consciencializando outras pessoas próximas e vai-se criando o efeito bola de neve.

E depois pensamos que as pessoas têm alguma consciência. Mas e as entidades? Já é tempo de as autarquias e o Governo chamarem a si parte da responsabilidade no que ao ambiente diz respeito. Ao nascer-do-sol no Cais do Sodré, o cenário é sempre o mesmo: os moradores que saem mais cedo de casa deparam-se com este aspecto todos os dias. E por esse país fora, onde os bares que permitem que se beba na rua, optam por copo de plástico, e contribuem para a acumulação de plástico não reciclável. Na minha cidade, de manhã, o terror é o mesmo.

SAM_6966.JPG

As Câmaras têm de começar a pedir responsabilidades aos agentes locais. 

Há que tomar medidas que desincentivem o uso de recipientes com essa gramagem ou o uso de todo.

Há inclusivamente na mesa, já alguns projectos para forçar as cervejeiras a irem em caminhos diferentes dos trilhados até hoje.

 

Claro que as alternativas existem, até porque as questões de imagem são um grande aliado da sociedade, mas a vertente comercial é ainda maior.

Vamos ver onde nos leva a Consciência Colectiva...

3 comentários

  • Imagem de perfil

    Happy 05.09.2018 18:43

    Sim, mas algumas pessoas têm cuidado. Ainda agora em Agosto esteve cá uma amiga a passar a quinzena. Ela fuma. Mas tinha um cone da Olá onde guardava as beatas e cinza todos os dias. Inclusivamente numa praia a que fomos, havia um suporte com aqueles apetrechos para quem quisesse levar para a praia.
    Verdade seja dita que este ano, não me deparei com muito lixo na praia...
  • Imagem de perfil

    Peixe Frito 06.09.2018 11:10

    Não censuro quem fuma na praia e sei que há muitas pessoas que usam esses cones, neste caso em específico, a praia ficou assim devido ao início das festas nocturnas na vila. E como são feitas na beira daquela praia, a malta senta-se no paredão e no areal por já não haver espaço na calçada e dá naquele lindo resultado 
    Daí a minha observação: não há praia aqui na zona que não disponha desses cones ou rara a que não têm o suporte carregadinho deles, para o pessoal tirar e voltar a por. É das pessoas. Por isso em alguns casos, a medida extrema de multa, se calhar até se aplica bem, dado que a própria câmara fornece os cones e igualmente há bastantes caixotes do lixo espalhados pela vila e eco pontos para o vidrão perto da praia, inclusive na praia. Não há necessidade de mandarem as beatas para a areia nem as garrafas/copos, quando há infraestrutura implementada para esses fins.
    Óbvio que é dificil controlar toda a gente que manda lixo para o chão/areia, a polícia não fazia outra coisa, mas então que se agilizem processos de penalizar quem o faz. É vergonhoso uma praia num sítio lindo, vila cheia de turistas e a praia estar recheada de beatas e vidros/garrafas.
  • Comentar:

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.