Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

happyness is everywhere

O Povo português é essencialmente cosmopolita. Nunca um verdadeiro Português foi português: foi sempre tudo. FP

happyness is everywhere

Jura - França

Há uns meses, estive na região de Jura. O Jura é uma região montanhosa entre França e Suíça. Aliás, eu viajei para Genève e depois atravessei as montanhas, ainda com muita neve apesar de estarmos já às portas do verão. 

(clicar nas setas laterais para ver as fotos)

Nesse fim de semana mudava a hora para a hora de verão e o pessoa que me foi buscar ao hotel falou-me um bocado da região, dos costumes e das vivências.  Aquela zona da montanha tem muita pastagens e muitas vacas (adoro chocolate suíço, by the way). Então o senhor falou-me da grande preocupação dos agricultores por esses dias. sabiam que os agricultores têm sempre dois relógios na cozinha? Aparentemente as vacas são muito sensíveis, especialmente no que diz respeito às ordenhas. E portanto  ordenha tem de ser feita sempre à mesma hora senão as vacas retêm o leite. Assim, no que diz respeito à ordenha, não há mudança da hora - esta tem de ser feita sempre à mesma hora, independentemente da hora oficial. Entretanto e apesar de ser entusiasta da não-mudança da hora e da permanência da hora de verão, percebi que dificilmente será essa a ganhar. Porque na Bretanha por exemplo, se ficar a hora de verão, os dias começam às 9h e só ficará de noite pelas 23h. Percebemos que não é então uma possibilidade... 

Transpostas as montanhas e chegada à planície, a paisagem mudou completamente:

Fiquei em Salins-les-Bains, uma pequena localidade do Oeste rural francês e famosa pelas salinas de sal, agora já desactivadas mas abertas ao público.

Fui a trabalho, mas o facto de me levantar mais cedo para ir correr de manhã, permite conhecer mais recantos, e essa recente descoberta tem sido das melhores descobertas dos últimos tempos.

Vista do meu quarto, porta antiga da cidade, hotel de ville (câmara municipal), com a igreja Notre-Dame Libératrice, construída entre as décadas 40-60 do século 17

 

Pequenos recantos de Salins-les-Bains (acho deliciosa aquela porta e acesso à rua sobre a ribeira na 2ª foto)

A última foto é de um monumento de homenagem aos mortos da terra na Primeira Grande Guerra

 

Num dos dias fui a Lons le Saunier, cidade vizinha com alguns apontamentos muito interessantes, nomeadamente ser a sede da Vaca que ri. 

Liberté, Egalité, Fraternité - lema da Revolução francesa que sobreviveu até aos dias de hoje

 

A Cidade fez um gesto de simpatia e colocou a bandeira de Portugal naquele último mastro, como recepção de boas-vindas!

 

E nunca consigo falar das viagens sem falar do que vou comendo por lá... 

No primeiro dia que fui correr, no final do treino entrei na padaria mesmo ao lado do hotel e fiquei a babar-me...  (juro que só olhei e fotografei...)

 

Por vezes, comida mais sofisticada - cogumelos em queijo gratinado e um crème brûlée de menta, outras vezes, o que a empresa de catering nos deixa no intervalo das reuniões...

 

Mas o que mais apreciei nesta viagem foi a visita às minas de sal. Vou deixar para um segundo post porque achei absolutamente fantástico!

 

Comentar:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.