Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

happyness is everywhere

O Povo português é essencialmente cosmopolita. Nunca um verdadeiro Português foi português: foi sempre tudo. FP

happyness is everywhere

O meu pai finalmente teve coragem

Os traumas são complicados.

O do meu pai tinha 37 anos e resume-se a uma operação simples que o pai do meu pai fez e que terminou quando ele não acordou da anestesia. Coisas que a ciência e os erros humanos nunca explicam.

 

Há quase 20 anos que o meu pai tinha dificuldade em urinar. Nunca mais do que umas gotinhas de cada vez. E nunca sem dor.

Volta não volta, lá tinha de ir às urgências porque a dificuldade era tanta, por vezes sangrava. Enfim, todo um filme.

Mas ele não arredava pé - Operado, NUNCA! 

 

A médica dele é mulher. E aparentemente isso teve toda a importância para o desenrolar da história. Mandava fazer uns exames, alguma medicação e pronto. Quando resolveu consultar um médico-homem já entradote na idade e na experiência, ele foi categórico e disse que ele tinha mesmo que ser operado, já que só assim ganharia qualidade de vida. Ainda para mais, não era cancro, era apenas um tamanho desmesurado da próstata, que tinha o riplo do tamanho...E a semente foi plantada. E o meu pai foi-se convencendo.

 

No dia de ir para o hospital, despediu-se dos animais, das ervilhas, das favas, dos... vocês percebem a ideia... 

 

Foi internado. Passadas 4 horas foi levado na maca. O olhar que nos deitou foi de despedida. Ainda na mesa de operações, comentou com o cirurgião que o pai não tinha acordado da operação dele. Último lamento.

 

Há dias, tirou os agrafos, já está a trabalhar, está feliz da vida e só lamenta não ter tomado esta decisão mais cedo. Foram quase duas décadas a sofrer...

 

Cá está - a vida foi o que ele quis que fosse, enquanto não quis mudar. Durante 20 anos. E agora, a vida também é o que ele quis que fosse, depois de ganhar a coragem de mudar!

 

Às vezes já vai tarde, mas ao mesmo tempo, nunca é tarde.

 

38 comentários

Comentar post

Pág. 1/2