Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

happyness is everywhere

O Povo português é essencialmente cosmopolita. Nunca um verdadeiro Português foi português: foi sempre tudo. FP

happyness is everywhere

Porque saí da tua vida

Ouvi-te no outro dia, num programa de televisão. 

E se bem que tenha mudado de canal imediatamente, fez-me recuar no tempo para um período primeiro muito feliz e depois, muito triste. Mas é assim com quase todos os amores, não é? Só alguns felizardos encontram a sua alma gémea, e mantêm-na para sempre. Sem mortes, sem traições, sem abandonos...

Mas quando te ouvi, vieram ao de cima muitos sentimentos.

A única coisa que consegui pensar foi que a culpa foi tua. E vislumbrei nos meus olhos a raiva, a mágoa. Continua cá tudo, depois de todo este tempo.

Depois fiquei a pensar que colocar a culpa toda em ti é fácil de mais, tão óbvio. Vim embora porque não conseguia lidar com a situação, porque tive mesmo de o fazer. No meio de todo aquele processo, eu terei tido alguma culpa, certamente.  

E para conseguir, tenho de dar o salto para o outro lado, o lado em que ultrapasso tudo isto e volto a aceitar um homem na minha vida. Porque das trevas, saí eu naquela altura, só estou com dificuldade em chegar ao sol e à luz.

 

Então vamos por partes:

Saí da tua vida porque nos últimos tempos, quando te pedia que me abraçasses, davas-me pouco calor. Talvez não tivesse pedido da forma correcta, talvez devesse ter procurado de forma diferente, mas foi o bastante para querer sair dessa sombra.

Saí da tua vida porque quando nos conhecemos, me apaixonei por ti mas não só por ti, pela ideia de nós juntos. Pela ideia de me entregar a alguém seriamente depois de um período de relações sem laços após o luto. Pela imagem de seres tão independente. Tão independente como eu. Achava que ficaríamos bem juntos. Mas nunca fomos um casal, apesar dos 3 anos que estivemos juntos. Eu sei que não é justo achar insuportável numa pessoa as mesmas coisas que nos levaram a estar com ela. Mas é o que acontece com toda a gente...

Saí da tua vida porque foi nascendo em mim um fosso de ressentimento e solidão onde eu me fui afundando. Um pouco mais a cada dia que passava, até não suportar continuar a imaginar-me contigo.

Saí da tua vida porque só se vive uma vez e eu não podia fingir que não sabia.

Saí da tua vida porque me apercebi que não consegues ser de outra forma. Nestas últimas semanas tenho trabalhado para não te culpar por isso. Eu sei que é difícil mudar. Para isso, essa parte de ti teria de morrer e nascer outra. Se te dei a oportunidade de mudar? Eu sinto que te dei essa hipótese em cada um dos 3x365 dias que estivemos juntos.

Saí da tua vida porque nunca me amaste. Não de verdade. Hoje sei isso. Não faz mal. 

Saí da tua vida porque sempre te fui fiel e tu nem por isso. Bem sei que nunca te dei a oportunidade de te explicares, que só consegui sentir nojo de ti quando me apercebi de toda a dimensão da traição.

 

Saí da tua vida. E agora tenho de seguir em frente. Sem ódio nem raiva. Perdoando-te porque não sabes ser de outro modo.

Deixo-te para trás, em nome do amor que mereço voltar a viver, ainda que nos últimos tempos tenha andado a fugir das oportunidades.     

2 comentários

  • Imagem de perfil

    Happy 19.07.2017

    Obrigada pela força que me deste também! Image
  • Comentar:

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.