Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

happyness is everywhere

O Povo português é essencialmente cosmopolita. Nunca um verdadeiro Português foi português: foi sempre tudo. FP

happyness is everywhere

O Povo português é essencialmente cosmopolita. Nunca um verdadeiro Português foi português: foi sempre tudo. FP

Roma - Parte I

Já me tinha esquecido de vos mostrar as fotos da minha última viagem. E só agora que comecei a preparar a próxima, é que m'a lembrei!!

 

O primeiro dia foi a chegada. Instalamo-nos num apartamentão mesmo por detrás do Vaticano, muito bom preço e com metro quase à porta. Um preço muito simpático. Tão simpático, que conforme fui ouvindo "isso é impossível", "foste enganada", fui ficando apreensiva. Estava mesmo a ver cinco gorgeous girls a chegar a uma espelunca... Mas tudo correu bem e o apartamento revelou ser aquilo que eu tinha visto na net. Muito bom!

 

Levámos bilhetes comprados na net para quase tudo. Quando chegámos ao Vaticano, andavam por lá angariadores de turistas para guias aos Museus do Vaticano, Jardins, Capela Sistina e Basílica. Recusei categoricamente. Ainda bem que o indiano insistiu, porque acabou por se revelar ser a melhor opção! 

Para entrar nos Museus e depois na Basílica eram filas de morrer sob aquele sol escaldante. Mas filas de quilómetros! Acabámos por pagar o excedente à agência (acho que ficou 130€ para 5, depois de negociar).

Praça de São Pedro e Basílica 

O que é certo é que escolhemos português como língua e fomos num grupo de 17 pessoas em que o resto das pessoas eram brasileiros. Mas nós éramos de longe as mais divertidas!!  O guia falava muito bem português porque tinha estado uma década em Lisboa a trabalhar como artista num teatro.

Esta revelou-se a melhor opção porque, para além de passarmos directamente para a Capela Sistina e depois directamente para a Basílica, sem filas, ele ainda ia explicando as obras que víamos. Os Museus têm cerca de 3500 peças e o guia foi franco e disse-nos que falaria de aproximadamente 200. Mas caso tivéssemos curiosidade cobre outras peças, para colocarmos questões. Foi fenomenal!

 

Situada no Pátio da Pinha, esta Sfera con Sfera é o que mais chama a atenção. Existem outras versões pelo mundo, mas a do Vaticano é a mais famosa. / Exterior da Basílica - outra perspectiva

 

 Mais tarde, já a caminho da Capela Sistina, passamos por uma terceira galeria num corredor, para mim,  a mais deslumbrante... Nas paredes laterais, mais de 40 mapas pintados no séc.XVI, mas o magnífico desta galeria são os tectos. Aliás os tectos são uma particularidade comum a todos os espaços. O mais normal é ver pescoços virados para cima, tentando ver e registar toda aquela magnitude!

 

A última paragem foi a basílica de S. Pedro. E a Porta do Jubileu impressiona. Este é o lado exterior e a segunda foto, trata-se do lado interior, que é destruída a cada Jubileu, para permitir saída por aquela porta.

 

A Basílica propriamente dita é impressionante também. Linda. Harmoniosa. 

 

 

E depois a estátua de São Pedro visivelmente degastada no pé direito em que milhares de pessoas passam a mão diariamente, e um pormenor de uma grelha que dá acesso ao piso subterrâneo - Necrópole Vaticana, onde não é permitido tirar fotos. Também lá fomos e mais uma vez, impressionante é a palavra! 

 

 

Na Capela Sistina, escusado será dizer que não tenho fotos, por não ser permitido. Embora haja muita gente que teima e esconde. Mas os guardas estão atentos e quando se apercebem, são mais ríspidos e expulsam as pessoas. Infelizmente, o tempo que podemos passar ali é reduzido, eles estão sempre a empurrar a s pessoas para as saídas. Porque ficar ali a reparar naqueles pormenores todos, teria sido fenomenal... Melhor ainda, só deitada no chão a a olhar directamente para o tecto...

 

Confesso que o mais difícil deste post foi a selecção das fotografias. Deixei tantas mas tantas tão belas de fora.... Independentemente do credo, a visita ao Vaticano vale a pena por ser uma tal concentração de arte num espaço relativamente circunscrito.

 

Voltarei para o resto do relato 

 

 

 

6 comentários

Comentar post